Facebook pagava para rastrear dados de adolescentes

Foi descoberto pelo TechCrunch que o Facebook pagava adolescentes e adultos para monitorar a atividade dos smartphones deles. De acordo com a investigação do site, a rede social pagava 20 dólares por mês para pessoas entre 13 e 35 instalarem uma VPN chamada Facebook Research, que coletava os dados dos participantes.

VPNs são Redes Virtuais Privadas (Virtual Private Network, em inglês) que conectam dois dispositivos em uma rede própria. Assim, os dados coletados iam diretamente para o Facebook, sem passar por terceiros.

A segurança de dados pessoais dos usuários na internet é um debate recorrente e alvo de diversas violações. A Paradox Zero tem compromisso com a segurança dos dados e com informações que trafegam na web, por isso investimos em serviços de criptografia e blindagem digital. Infelizmente, o Facebook parece não se importar em proteger informações dos seus usuários e já foi criticado muitas vezes por isso.

O Facebook Research fornecia informações sobre o comportamento dos participantes ao usar aplicativos e outros serviços. Assim, a rede social podia compreender melhor os hábitos de sua própria audiência e vencer os concorrentes. Uma clara violação aos processos de privacidade na web.

Rastreamento do Facebook

A descoberta de que o Facebook continua com uma política de espionagem foi muito mal recebida. As regras atuais do contrato com a Apple não permitem esse tipo de violação, que pode chegar a mensagens privadas, e-mails, dados de navegação e localização.

O Facebook afirma que os usuários, ao baixarem o aplicativo VPN e serem pagos, concordam com os termos de uso, mas a coleta de dados é completamente invasiva e muitos podem não ter noção da complexidade ao participarem do experimento.