Vendas de um único feriado na China equivalem a de um mês no Brasil

Durante o Single’s Day, o grupo Alibaba bateu recorde de vendas em 2018, com uma arrecadação de US$ 30 bilhões. Já é o décimo ano que o gigante chinês aproveita o feriado para lançar grandes promoções.

Em apenas um dia, o site da China arrecadou quase o que o varejo brasileiro demora um mês para movimentar. A receita anual do nosso comércio está em torno de US$ 400 bilhões, o que dá US$ 33,33 bilhões por mês.

A Amazon também fica bem atrás dos números do Alibaba. O dia de promoções da empresa norte-americana, o Prime Day, teve “apenas” US$ 4 bilhões em vendas em 2018. A Black Friday nos Estados Unidos, que acontecem em sites do país todo, também não consegue apresentar números da China. Em 2017, o feriado movimentou US$ 5 bilhões em vendas online.

O mercado chinês é difícil de descrever e mais difícil ainda de explicar. A única certeza é que é monstruoso e, se tiver fim, está tão longe que ninguém consegue enxergar ainda.

Sucesso do Single’s Day pode ser único

Mas nem na própria China os concorrentes conseguem replicar o sucesso do grupo Alibaba. O JD, maior rival do Alibaba, vendeu cerca de US$ 28 bilhões de 1 a 11 de novembro incluindo o feriado.

O número seria impressionante em qualquer lugar do mundo, com exceção da China, que tem o Alibaba. Mas o JD tem um diferencial. Por ter um controle maior sobre os produtos vendidos em seu site, o grupo se apresenta como uma alternativa mais confiável em um mercado onde produtos falsos são numerosos.

Single’s Day

O feriado do Dia dos Solteiros não foi criado pelo grupo Alibaba, mas eles com certeza souberam como arrecadar dinheiro com ele. O Single’s Day é celebrado na China no dia 11 de novembro (11/11), com o número 1 representando uma pessoa sozinha.

Quando começou, nos anos 90, as festividades do dia ficavam limitadas a centros universitários, mas logo foi se espalhando pelo país asiático.

Desde 2009 o grupo Alibaba aproveita a ideia do feriado, o orgulho de estar solteiro, para estimular os consumidores a comprarem presentes para eles mesmos.