Cibersegurança foi debatida durante Fórum da Paz de Paris

Luta por mais cibersegurança une 51 países em acordo inédito

Como parte do Fórum da Paz de Paris, o presidente francês Emmanuel Macron lançou um acordo internacional para fortalecer a cibersegurança. Além de 51 países, incluindo todos os países da União Europeia, indústrias do setor público e privado, universidades e ONGs também assinaram o documento.

Apesar de ser apenas uma ação simbólica, já que o texto não prevê punições quando as medidas não são cumpridas, países como Estados Unidos, China e Rússia não assinaram o acordo.

O objetivo é que os signatários respeitem uma série de medidas para proteger o espaço digital. Entre os princípios, estão defender os direitos humanos online, acabar com ação de países estrangeiros em eleições e impedir a propagação de discurso de ódio. Ações que China, Rússia e Coréia do Norte já foram acusadas de violar no passado.

Cibersegurança no setor privado

Mesmo sem contar com o governo norte-americano, o documento tem a assinatura de grandes empresas estadunidenses, como Microsoft, Facebook e Google. A Microsoft, inclusive, afirmou que trabalhou de perto com o governo francês na elaboração das medidas.

Para o presidente da Microsoft, Brad Smith, foi uma oportunidade única para pessoas se unirem em torno de medidas chaves: proteção de inocentes, proteção de eleições, proteção para a internet em si.

Paradox Zero

Cibersegurança é um dos nortes da atuação da Paradox Zero. Com o foco na excelência técnica, levamos para nossos clientes gestão de usuários, soluções em criptografias e blindagem digital.

A internet é um lugar muito perigoso para quem não quer expor seus dados. Medidas internacionais como a de Paris podem ajudar no longo termo, mas a melhor solução ainda é proteger seus negócios e sites da melhor forma possível, com profissionais que atuam na área.