Romero Albuquerque cassado: TRE-PE vai além após punições de 2016

A cassação do mandato do vereador do Recife Romero Albuquerque (PP) e a decisão judicial de torná-lo inelegível por oito anos é uma situação, se não esperada, certamente previsível — pelo menos aqui na Paradox Zero. Acusado de promover indevidamente a candidatura na campanha de 2016, através de publicações patrocinadas no Facebook, a punição a Romero é um passo além do que observamos durante a realização de nossas pesquisas referentes ao desempenho dos então candidatos à Prefeitura do Recife na rede social.

A Paradox Zero realiza um acompanhamento permanente do uso das redes sociais pelos vereadores do Recife, prefeitos das capitais, deputados estaduais e federais de Pernambuco e senadores nordestinos. Nas eleições municipais de 2016, estivemos atentos à movimentação dos candidatos à Prefeitura do Recife, através de estudos mensais divulgados gratuitamente de abril a outubro. Nesse período, diversos candidatos — Priscila Krause, Edilson Silva, Aline Mariano, Geraldo Julio e Isabela de Roldão, por exemplo — foram punidos pela Justiça Eleitoral, em ações que tiveram como origem seu comportamento nas mídias sociais.

Inicialmente, a expectativa das coordenações de campanha era de que as redes sociais ganhassem ainda mais força como ferramenta para ajudar a convencer o eleitorado e colocar (ou recolocar) no poder alguns dos candidatos. As decisões do TRE-PE alteraram o curso das estratégias, ao punir candidatos que — na visão da Justiça Eleitoral — excederam os limites permitidos na fase pré-campanha.

Romero: abuso de poder econômico

De acordo com o Blog de Jamildo, no caso específico de Romero Albuquerque, a ação foi movida pelo vereador Wilton Brito (PTRB) e acatada pela juíza da 1ª zona eleitoral, Maria Thereza Paes Sá Machado; o vereador já foi notificado e afirmou que vai recorrer. Ainda segundo Jamildo, o documento oficial do TRE-PE detalha a razão da condenação: “utilização indevida dos meios de comunicação social e o abuso de poder econômico”. Em resposta a seguidores na própria fanpage, o vereador afirmou que recebe com surpresa o resultado do julgamento e disse que vai somar esforços para provar que não fugiu às normas eleitorais. “E mais ainda,  demonstrar que minhas ações sociais e capacidade de interlocução nas redes sociais jamais precisaram de propaganda paga”, ressaltou. Enquanto o processo não é concluído, Romero mantém o mandato.

Eleito vereador, Romero Albuquerque integra um dos novos estudos da Paradox Zero, iniciado este ano e voltado para os integrantes da Câmara Municipal do Recife. O primeiro recorte da pesquisa FaceVereadores foi divulgado em abril passado. Através desses levantamentos, a Paradox Zero busca apresentar aos leitores e fomentar o interesse da imprensa com análises e infográficos baseados em informações públicas colhidas e tabuladas por nossa equipe. Os dados são armazenados para verificação posterior e todo esse material está publicado de forma gratuita e em linguagem acessível no nosso site.