Atuação dos pré-candidatos à Prefeitura do Recife nas redes sociais

RELEASE PARA IMPRENSA

A campanha eleitoral para a Prefeitura do Recife ainda não está oficialmente nas ruas, mas a movimentação nas redes sociais já começou. É essa dinâmica que a Paradox Zero acompanha, a cada eleição, catalogando as informações em banco de dados e oferecendo ao eleitor, gratuitamente, o acompanhamento da movimentação dos candidatos nas redes.

Com o lançamento do panorama ao público, os eleitores podem acompanhar infográficos, rankings e destaques da participação dos pré-candidatos com base em números armazenados desde abril e atualizados a cada mês, até o dia da eleição.

Para a apresentação dos infográficos de total de seguidores nas redes, foram considerados os números mais recentes, com fechamento realizado sempre no início do mês. Todas as informações coletadas são de caráter público, podendo ser verificadas livremente por meio das ferramentas disponíveis aos usuários das redes sociais.

Foram analisados e verificados, inicialmente, os perfis oficiais de seis pré-candidatos à Prefeitura do Recife cujos nomes foram ventilados na imprensa pernambucana, com possibilidades de efetivação da candidatura: Daniel Coelho (PSDB), Edilson Silva (PSOL), Geraldo Julio (PSB), João Paulo (PT), Priscila Krause (DEM) e Silvio Costa Filho (PRB).

O pré-candidato Carlos Augusto (PV) e o pré-candidato Sergio Magalhães (PMN) foram inclusos somente no segundo recorte, em maio de 2016.

Todos os rankings estão sempre disponível no link direto – paradoxzero.com/recife2016

Relação tempo x número de seguidores

Entre as redes sociais analisadas na pesquisa, a mais recente é o Instagram, criado em 2010. Tanto Facebook quanto Twitter são de 2006. De modo geral, os pré-candidatos despertaram para a necessidade de criar seus perfis muito tarde.

Tomando o Instagram como exemplo, nenhum dos perfis analisados surgiu no mesmo ano que a rede. Três das páginas pesquisadas são de julho de 2012 e duas nasceram visando a eleição municipal daquele ano – pleito em que Geraldo Julio (PSB) foi eleito prefeito do Recife e Daniel Coelho (PSDB) ficou em segundo lugar. O terceiro perfil criado em julho de 2012 foi o de Silvio Costa Filho (PRB), que já era deputado estadual, na época.

A pré-candidata Priscila Krause (DEM) também estreou seu perfil no Instagram em 2012, ano em que foi reeleita vereadora do Recife pela terceira vez. No entanto, apesar de ser o perfil mais antigo entre os seis analisados (com postagens desde maio de 2012), a página soma apenas 3.552 seguidores, registrando baixo crescimento mensal (77,2 novos seguidores por mês, em média), o quarto menor índice dentro do universo da pesquisa.

No caso do Facebook, Daniel Coelho (PSDB) é quem tem a fanpage mais antiga entre os pré-candidatos, com postagens desde junho de 2011. Quando avaliam-se os perfis dos pré-candidatos no Twitter, os dois mais antigos são os de Daniel Coelho (PSDB) e Priscila Krause (DEM), ambos criados em junho de 2009. Eles apresentam desenvolvimento bastante distinto ao longo dos anos.

Por outro lado, o perfil mais jovem no Twitter é o de Geraldo Julio (PSB). Criado em julho de 2012, para a campanha à Prefeitura do Recife nas eleições daquele ano, atualmente a página é a campeã de seguidores.

Facebook: regras parcialmente descumpridas

Um aspecto que chama atenção é que metade dos pré-candidatos analisados nesta pesquisa mantêm sua presença no Facebook restrita apenas a suas fanpages: Daniel Coelho (PSDB), Geraldo Julio (PSB) e Silvio Costa Filho (PRB).

Segundo as regras oficiais de uso no Facebook, políticos, empresas e figuras públicas devem manter apenas fanpages e não perfis pessoais. Os outros três pré-candidatos se dividem entre fanpages e perfis pessoais, às vezes até mais de um perfil.

Metodologia

Este recorte apresenta um panorama da participação de seis pré-candidatos à Prefeitura do Recife, no Facebook, Instagram e Twitter, com base em duas variáveis: o número total de seguidores por perfil e a média mensal de crescimento por perfil. Para calcular a média de crescimento de cada um, em cada uma das redes, é considerada a data de início das postagens, de acordo com os registros oficiais disponíveis em cada uma delas.

No caso específico do Facebook, havendo diferença entre o dado registrado pela fanpage e a informação obtida junto à assessoria de comunicação do pré-candidato, foi considerado o dado verificável pelo próprio Facebook. Deste modo, o total de seguidores equivale ao número que constava na página oficial de cada um dos pré-candidatos no primeiro dia de abril de 2016.

O contato com a assessoria de comunicação dos pré-candidatos foi realizada por meio da próprio Facebook, nas páginas oficiais. Apenas quatro responderam.