Redes sociais e gafes corporativas

Já faz tempo que as empresas descobriram a relevância da presença em redes sociais para os seus negócios, mas a atenção ao conteúdo e aos profissionais que o desenvolvem nem sempre ganha a mesma importância. Errar na estratégia de gerenciamento de uma rede social é comum e pode causar prejuízos e constrangimentos, como os casos listados do Portal Exame, que relembrou grandes gafes do marketing em redes sociais em 2013.

A matéria trouxe 15 casos de grandes marcas mundiais, como a Nokia e Kellogg’s, além de comentar erros das empresas brasileiras, a exemplo da Domino’s, C&A e Cacau Show. Entre os casos nacionais de maior repercussão está a gafe cometida pela C&A no Facebook, que publicou uma foto da cantora Preta Gil para promover uma coleção e acabou sendo alvo de críticas, acusada de usar retoques demais no Photoshop.

A fotografia ganhou cinco mil compartilhamentos e obrigou a marca a emitir um comunicado oficial explicando que o ângulo utilizado na foto foi o responsável pelas distorções, não o uso de programas de edição de imagem.

PretaGil

Foto de Preta Gil publicada no Facebook da C&A teve milhares de compartilhamentos

Entre os casos de marcas internacionais, a matéria cita a Kellogg’s, que prometeu trocar cafés da manhã para crianças carentes por RTs (retuítes). O que deveria gerar uma mobilização solidária se tornou uma avalanche de críticas. Os usuários do microblog acusaram a empresa de doar alimentos em troca de publicidade. A promoção mal planejada teve fim com um pedido público de desculpas da marca.

Campo minado – Ao mesmo tempo em que as redes sociais proporcionam maior interação com os consumidores e a oportunidade de atingir uma grande quantidade de pessoas em pouco tempo, elas podem ser um tiro no pé quando mal administradas. Para ter uma presença online bem consolidada, a marca deve delegar o gerenciamento das redes a empresas especializadas, que tenham experiência consolidada e estrutura adequada para viabilizar a melhor estratégia.

Gestão de redes sociais sem foco na credibilidade não é gestão de redes sociais. Fique atento. O trabalho de comunicação estratégica envolve a participação de profissionais especializados para acompanhar as constantes mudanças da internet, com rápido posicionamento.Já faz tempo que as empresas descobriram a relevância da presença em redes sociais para os seus negócios, mas a atenção ao conteúdo e aos profissionais que o desenvolvem nem sempre ganha a mesma importância. Errar na estratégia de gerenciamento de uma rede social é comum e pode causar prejuízos e constrangimentos, como os casos listados do Portal Exame, que relembrou grandes gafes do marketing em redes sociais em 2013.

A matéria trouxe 15 casos de grandes marcas mundiais, como a Nokia e Kellogg’s, além de comentar erros das empresas brasileiras, a exemplo da Domino’s, C&A e Cacau Show. Entre os casos nacionais de maior repercussão está a gafe cometida pela C&A no Facebook, que publicou uma foto da cantora Preta Gil para promover uma coleção e acabou sendo alvo de críticas, acusada de usar retoques demais no Photoshop.

A fotografia ganhou cinco mil compartilhamentos e obrigou a marca a emitir um comunicado oficial explicando que o ângulo utilizado na foto foi o responsável pelas distorções, não o uso de programas de edição de imagem.

PretaGil

Foto de Preta Gil publicada no Facebook da C&A teve milhares de compartilhamentos

Entre os casos de marcas internacionais, a matéria cita a Kellogg’s, que prometeu trocar cafés da manhã para crianças carentes por RTs (retuítes). O que deveria gerar uma mobilização solidária se tornou uma avalanche de críticas. Os usuários do microblog acusaram a empresa de doar alimentos em troca de publicidade. A promoção mal planejada teve fim com um pedido público de desculpas da marca.

Campo minado – Ao mesmo tempo em que as redes sociais proporcionam maior interação com os consumidores e a oportunidade de atingir uma grande quantidade de pessoas em pouco tempo, elas podem ser um tiro no pé quando mal administradas. Para ter uma presença online bem consolidada, a marca deve delegar o gerenciamento das redes a empresas especializadas, que tenham experiência consolidada e estrutura adequada para viabilizar a melhor estratégia.

Na Paradox Zero, a gestão de redes sociais tem foco na credibilidade do conteúdo, não em quantidade. O trabalho de comunicação estratégica envolve a participação de profissionais especializados e atentos para acompanhar as constantes mudanças da internet, com rápido posicionamento. Todo o trabalho é apoiado em benchmarking e relatórios de métricas detalhados, incluindo também guias de boas práticas na rede.